Hora e Vez de Augusto Matraga

Hora e Vez de Augusto Matraga

00:00 / 00:00

Sinopse

Conto que encerra o livro Sagarana, “A hora e vez de Augusto Matraga” traz a história de um homem sertanejo acostumado a se impor pela força em seu cotidiano. Nhô Augusto é a perfeita síntese do mandonismo local que se fez presente em tantas cidades brasileiras durante o século XX.

Manejando de forma magistral o dilema universal entre o bem e o mal, João Guimarães Rosa construiu um enredo surpreendente, que leva os leitores a refletir acerca de seus instintos.

A narrativa ocupa até hoje lugar de destaque na prosa moderna brasileira, graças aos cenários e às situações brilhantemente construídas por Guimarães Rosa, responsável por uma obra considerada por muitos como a mais impactante da literatura brasileira.

O texto desta publicação tomou como base a décima edição de Sagarana, lançada pela Livraria José Olympio Editora em 1968. Procurando conservar a inventividade da linguagem criada por Guimarães Rosa, o texto foi revisto de forma cuidadosa, atualizando, de forma pontual, a grafia das palavras e as acentuações conforme as reformas ortográficas da língua portuguesa de 1971 e de 1990.

Autor

Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

João Guimarães Rosa nasceu em 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais. Publicou, em 1946, o seu primeiro livro, Sagarana, que foi recebido pela crítica com entusiasmo por sua capacidade narrativa e sua linguagem inventiva. Formado em Medicina, Rosa chegou a exercer o ofício em Minas Gerais e, posteriormente, seguiu carreira diplomática.
Além de Sagarana, constituiu uma obra notável com outros livros de primeira grandeza, como Primeiras Estórias, Manuelzão e Miguilim, Tutameia – Terceiras Estórias, Estas Estórias e Grande Sertão: Veredas. Este último romance levou o autor a ser reconhecido no exterior.
Em 1961, Rosa recebeu o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras (ABL) pelo conjunto de sua obra literária. Faleceu em 19 de novembro de 1967, no Rio de Janeiro.

Narrador

Priscila Scholz

Priscila Scholz


Iniciou sua carreira em 1997. Como atriz já participou de inúmeros espetáculos adultos e infantis, e diversas produções de audiovisual. Sócia na empresa SóRiso Produções Teatrais Ltda., onde produz, dirige e cria peças teatrais.
Componente do Coletivo Flama e da Cia. Ópera do Mendigo. Narradora de audiolivros no aplicativo Tocalivros.

Rubens Caribé

Rubens Caribé

Rubens Caribé é ator, cantor e bailarino, estreou na TV em 1992 na minissérie "Anos rebeldes". Seu último trabalho como ator na TV foi em 2014 numa participação na série "O negócio", da HBO. Mora em São Paulo, se dedica ao teatro e agora ao audiolivro.
Um dos seus primeiros trabalhos em teatro foi a montagem de Hair, dirigida por Antônio Abujamra. É integrante do Teatro do Ornitorrinco, onde atuou em O Doente Imaginário (Molière), Sonhos de Uma Noite de Verão e A Megera Domada ambos de (William Shakespeare).
Atuou ainda em Memórias do Mar Aberto (Consuelo de Castro), sob a direção de Regina Galdino; Mãe Coragem e Seus Filhos (Bertolt Brecht), sob direção de Sérgio Ferrara; Pedras nos Bolsos (Marie Jones), sob a direção de Domingos Nunez. Participou das novelas"Fera Ferida" (1993), "Sangue do Meu Sangue" (1995), "Os Ossos do Barão" (1997), "Malhação" (1995), entre outras.