Entre sem bater

Entre sem bater

Sinopse

"Entre Sem Bater" foi publicado originalmente em capítulos, em duas edições semanais ao longo de três meses, no jornal Última Hora em 1960, e, no ano seguinte, já consagrado pelo público, foi lançado em forma de livro. Neste romance violento e sardônico, atual e desconcertante, Marcos Rey mantém o estilo enxuto e contido que o consagrou. Romance de enredo, escrito por um autor que não abre mão de uma boa história que cative e fascine o leitor, este livro vai muito além de narrar episódios e despertar emoções as mais variadas. Com o realismo crítico que caracterizou todos os seus escritos, Marcos Rey narra a historia de Ricardo, um publicitário boa-vida, pretenso intelectual que, agora muitíssimo bem remunerado, alcançou um status que lhe permite ter um carro de luxo e um apartamento elegante em bairro de classe media-alta, sem perceber que, muito longe do que supõe, não conseguiu conquistar sua total libertação e um confortável lugar ao sol. A vitória que julgava absoluta sobre a penúria e a insegurança que lhe haviam torturado a juventude empolga-o quando abandona suas ideias revolucionarias e sequestra Irene, a amante de um ricaço deficiente. O ex-socialista pretendia tornar-se sócio de seu patrão italiano, Angelo, um sujeito grosseiro e inculto, que parece ser ludibriável, para sentir-se seguramente fincado no universo do luxo, do dinheiro e da vida folgada. Você vai de deslumbrar com essa obra fantástica desse escritor fantástico chamado Marcos Rey.

Autor

Autor de uma vasta produção de obras literárias e audiovisuais, assumiu o ofício de escrever o tempo todo, e viveu de seus textos e criações. Destacou-se pela qualidade de seus contos e romances – literatura de realismo urbano – captando e recriando a atmosfera da grande cidade e de seus personagens; e a aristocracia, a classe média e a vida noturna. Marcos Rey escrevia como se estivesse filmando o cotidiano e a realidade da metrópole paulistana. Nasceu em São Paulo em 1925, e desde a infância era um inveterado leitor. Publicou seu primeiro conto aos 16 anos no jornal Folha da Manhã, já usando o nome "Marcos Rey" (Edmundo Donato era seu nome verdadeiro). Seu primeiro romance publicado foi Um Gato no Triângulo , em 1953. Habilidoso e versátil, Rey passou pelos anos 50, 60, 70, 80 e 90 como cronista, contista, roteirista de rádio, televisão e cinema, em programas de humor, rádio-almanaques, novelas e minisséries, e também foi redator publicitário. É autor de uma deliciosa coleção de romances de aventura e mistério para jovens leitores, livros escritos anualmente a partir da década de 1980, como O mistério do 5 Estrelas, O Diabo no Porta-malas e Sozinha no Mundo, entre outros grandes sucessos de público.