Fascismo e Democracia

Fascismo e Democracia

00:00 / 00:00
  • Autor: George Orwell
  • Narração: Milton Filippetti
  • Duração: 01h19m43s
  • Selo Editorial: Montecristo
  • Editora: Montecristo Editora
  • Produção: Tocalivros Studios
  • Idioma: Português Brasil
  • Material de Apoio: Não
  • Data de Lançamento: 31/12/1969

Sinopse

Celebrando o 70º aniversário da morte de George Orwell e a ascensão de sua obra ao domínio público, esta nova coleção traz cinco dos seus brilhantes ensaios escritos durante a Segunda Guerra Mundial.

Fascismo e Democracia reúne exemplos brilhantes da escrita de Orwell durante os dias mais sombrios da Segunda Guerra Mundial. Abraçando os princípios da democracia e as potencialidades reformadoras, o significado da literatura e da liberdade de expressão em tempos de violência, e a sustentabilidade da verdade objetiva, Orwell oferece um retrato convincente de uma nação onde normas e ideais não podem mais ser considerados garantidos. Assim como o melhor da escrita de Orwell, estes ensaios também servem como lembretes intemporais da fragilidade da liberdade.

Os ensaios abordam temas atuais como o que é fascismo, “fake news”, guerra cultural e liberdade de expressão. Com sua visão irônica do mundo, desenvolvida após a experiência na Guerra Civil Espanhola, os ensaios demonstram a semelhança dos totalitarismos de esquerda e de direita então em voga.

Autor

George OrwelEric Arthur Blair (1903-1950), mais conhecido por seu pseudônimo, George Orwell, nasceu na Índia, onde seu pai trabalhava para a Administração Pública. Autor, jornalista e ensaísta político, Orwell foi uma das figuras mais proeminentes e influentes da literatura do século vinte. Sua obra é marcada por uma inteligência perspicaz e bem-humorada, uma consciência profunda das injustiças sociais, uma intensa oposição ao totalitarismo e uma paixão pela clareza da escrita.

Sua singular alegoria política “A revolução dos bichos”, juntamente com a distopia “1984”, lhe rendeu fama mundial. A influência de Orwell na cultura contemporânea, tanto popular quanto política, perdura até hoje. Vários neologismos criados por ele, assim como o termo orwelliano — palavra usada para definir qualquer prática social autoritária ou totalitária — já fazem parte da cultura mundial.

Narrador

Milton Filippetti
Milton Filippetti
Iniciou das atividades artísticas em 1978, estuda percepção de cor e sons e é orientador de artes visuais no Centro Cultural São Paulo.
Pesquisador de arte popular no Centro Cultural São Paulo, ganhou o Prêmio APCA 1985-Coordenação pela pesquisa e publicação de "O Cordel em São Paulo" pelo CCSP. Cursou "História do Cinema Brasileiro" ministrado por Jean Claude Bernardet.
De 1990 a 2000 fez atividades múltiplas nas artes visuais, como: Cenografia TV - "Telecurso 2000", Teatro "O tal do mundo não se acabou" com música de Chiquinha Gonzaga. A partir de 2000 integrou o Coralusp, continuando estudos teoria e prática de música.
Participa do site "Cronopios", criado e organizado por Pipol, é narrador do CD de poesias criadas por participantes do Cronopios. Atualmente trabalha com voz cantada e na Toca Livros.