Homens são Analógicos, Mulheres são Digitais

Homens são Analógicos, Mulheres são Digitais

00:00 / 00:00

Sinopse

Em um mundo pós-digital, onde os sistemas colaborativos de gestão ganham força, busca-se cada vez mais profissionais multitarefas para organizações cada vez menos hierárquicas e mais matriciais.

O arquétipo feminino pós-digital é o conceito de como empresas e organizações podem adotar para abranger os sistemas colaborativos. A diferença de visão do mundo pelos gêneros destaca a potencialidade de homens e mulheres no desempenho das atividades, desenvolvimento e liderança das corporações.

Segundo Walter, “Se não quiser sucumbir, a economia em rede precisa tornar o arquétipo feminino dominante, nas empresas e em todas as organizações”. Compreenda a importância das corporações adotarem o arquétipo feminino na realidade pós-digital em que vivemos.

Autor

Walter Longo

Walter Longo

Seus mais de quarenta anos de vida profissional estão distribuídos em múltiplas atividades e facetas, sempre bem sucedidas, mas abrangendo uma gama muito variada de segmentos e especialidades que fazem dele um profissional raro de ser encontrado, e ainda mais de ser definido.

Iniciou sua carreira aos dezenove anos como profissional de vendas, especializando-se, desde o início, em apresentações para grupos numerosos de potenciais clientes. O objetivo dele era vender mais, e essa inovação no estilo de abordagem possibilitava massificar os resultados.

A atuação "por atacado" desenvolveu nele o gosto por apresentações em público, e foi o embrião de sua futura e reconhecida faceta de palestrante que viria a desenvolver muitos anos depois através da participação em grandes eventos de mídia e comunicação, tanto no Brasil quanto na Europa, Estados Unidos e América Latina.

Enquanto trabalhava, Longo fazia faculdade de Administração, tendo posteriormente se especializado em marketing no Exterior (Califórnia/ EUA).

Das vendas, Longo passou para a área de marketing, iniciando também nessa fase sua atuação como empresário. Convidado por importante líder do setor de comunicações, associou-se na empreitada de desenvolver a atividade de eventos como ferramenta de mídia. Foi nesse período que teve atuação destacada como homem de show-business e entretenimento, organizando, promovendo e realizando mega-eventos musicais, esportivos e culturais no Brasil, Argentina e Estados Unidos.

Em 2002 fundou a Synapsys, a primeira empresa de Advertainment do país, que presidiu como mentor e CEO até 2005. Durante esse período, iniciou também as operações da nova empresa nos Estados Unidos, criando a Synapsys International.

Em 2006, retornou ao Grupo Newcomm (holding formada pela associação de Roberto Justus e o Grupo WPP) como Mentor de Estratégia e Inovação, além de Presidente da Grey, onde permaneceu até março de 2016.

Hoje, é Presidente do Grupo Abril, um dos maiores grupos de comunicação da América do Sul.

Walter Longo é membro de vários conselhos de empresas de telecomunicações, articulista de múltiplas publicações além de autor, entre outros, dos livros - Tudo que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciê