Ler o mundo

Ler o mundo

Sinopse

Na condição de poeta, cronista e crítico literário, Affonso Romano de SantAnna sempre esteve comprometido com a leitura e a difusão da literatura. Esse pacto poderia ter sido suficiente, satisfazendo amplamente seus admiradores. Mas o escritor assumiu a direção da Biblioteca Nacional e reorientou as ações dessa instituição, desvelando sua vocação de formadora de leitores, e focada na qualificação do público da literatura. Bastou? Não. Affonso Romano de SantAnna avançou: refletiu sobre sua prática e questionou seu objeto - a leitura. O resultado dessa trajetória é "Ler o mundo", fruto da experiência, da maturidade e da inteligência de um dos maiores criadores da literatura brasileira.

Autor

Mineiro de Belo Horizonte, nasceu em 1937. Bacharelou-se em Letras Neolatinas pela UFMG, em 1962. Em 1969, também pela UFMG, com uma tese sobre Carlos Drummond de Andrade, tornou-se doutor em Literatura Brasileira. Nos anos 1960 participou ativamente de diversos movimentos de renovação da nossa poesia e, durante a ditadura militar, publicou, nos principais jornais brasileiros, corajosos poemas, reativando a relação do poeta com a vida social e política do país. Entre 1990 e 1996, presidiu a Fundação Biblioteca Nacional, época em que estabeleceu uma eficaz política do livro e da leitura no país. Com cerca de quarenta livros publicados, entre poesia, ensaios e crônicas, é casado com a escritora Marina Colasanti e tem duas filhas. Pela Global Editora tem as seguintes obras: Melhores Poemas Affonso Romano de SantAnna, Melhores Crônicas Affonso Romano de SantAnna,Ler o Mundo,A Implosão da Mentira e Outros Poemase Afonso Romano de SantAnna Crônicas para Jovens. Participou da antologia Traço do Poeta. Organizou e prefáciou Melhores Poemas Bueno de Rivera. Escreveu a apresentação da obra Carnaval, de Manuel Bandeira.