Sinopse

Da autora best-seller internacional Holly Black, conheça a história que se passou entre o filme Malévola (2014) e sua sequência, Malévola: dona do mal (2019)!
Ao coroar Aurora, Malévola não sabia que estava colocando-a em perigo. Governar um reino é desafiador. Mas na cabeça de Aurora — rainha de Perceforest e dos Moors — pesam duas coroas. Encurralada pelos preconceitos que dividem o seu reino e ansiosa para estabelecer uma paz duradoura, Aurora está determinada a assinar um acordo de unificação entre os humanos e o Povo das Fadas.  
No entanto, à medida que flores escuras e espinhosas crescem nas fronteiras de Perceforest e um jovem ajudante desaparece de maneira misteriosa, a tensão entre humanos e fadas chega a um nível perigoso.
A insônia de Aurora não colabora para que alcance seu objetivo. Afinal, como pode ter certeza de que não acordará cem anos depois? Além disso, ela não sabe em quem confiar. Sua madrinha protetora, Malévola; seu astuto conselheiro, Lorde Ortolan; seu amigo devoto, o Príncipe Phillip; e seu novo admirador, o Conde Alain: todos afirmam defender seus interesses. Porém, logo fica claro que uma trama dissimulada representa um risco iminente.
Com seu tratado de paz e a segurança de seus entes queridos em jogo, caberá a Aurora confiar em seu coração para salvar o reino.



Autor

HOLLY BLACK é autora best-seller do The New York Times, com mais de trinta livros de fantasia publicados para o público juvenil. Seu primeiro livro, Tithe. Fadas ousadas e modernas, publicado em 2002, foi descrito como “sombrio, tenso, lindamente escrito e compulsivamente legível” pela Booklist e faz parte dos Melhores Livros para Jovens Adultos da American Library Association.  
Holly  criou, ao lado do artista Tony DiTerlizzi, As crônicas de Spiderwick, uma série de livros de fantasia ilustrados que foram adaptados para um filme assinado pela Paramount Pictures em conjunto com Nickelodeon Films. A autora foi finalista dos prêmios Eisner e Lodestar e recebeu os prêmios Mythopoeic, Nebula e uma menção honrosa do Newbery. Seus livros já foram traduzidos para 32 idiomas e adaptados para o cinema. 
Holly também trabalhou com história em quadrinhos. Ela escreveu a série de romance gráfico indicada ao Eisner Award, The good neighbors (Kith em 2008, Kin em 2009 e Kind em 2010) e o quadrinho Lucifer para a DC Comics em 2015. O canto mais escuro da floresta (2015) marcou seu retorno para a ficção e contos de fadas, seguido pela série The folk of the air, best-seller do The New York Times e notavelmente aclamada pela crítica do Publishers Week e School Library Journal.  Atualmente, ela mora na Nova Inglaterra com o marido, o filho e os gatos em uma casa com uma biblioteca secreta.

Leia também:
• A maldição de Malévola, Elizabeth Rudnick
• Frozen: um coração congelado, Elizabeth Rudnick

Sobre Disney Consumer Products, Games and Publishing:
Disney Consumer Products, Games and Publishing (CPGP) traz a magia das marcas e franquias da The Walt Disney Company – incluindo Disney, Pixar, Marvel, Star Wars, National Geographic e mais – no cotidiano de famílias e fãs de todo o mundo por meio de produtos e experiências em mais de 100 categorias de varejo, de brinquedos e camisetas a aplicativos, livros, videogames e muito mais. Uma divisão do segmento de Parques, Experiências e Produtos da Disney, as operações globais da CPGP incluem: o maior negócio de licenciamento do mundo, uma das maiores marcas de publicações infantis, um dos principais licenciadores de jogos interativos entre plataformas, Store in Stores por toda a região, e o e-shop no disneylatino.com/shop e disney.com.br/shop (disponível no Brasil, Colômbia e México).